Art / Photo

Entrevista Jacob Ovgren

Jacob Ovgren, nascido em 1990, é skatista e um talentoso artista gráfico da Suécia. Muitas de suas obras são um reflexo das coisas que ele vê no mundo torcido em que vivemos. De uma forma mórbida e bem humorada, ele comenta sobre o presente.

Você é de Malmö, Suécia. Poderia contar sobre suas influências por lá?
Na real eu sou de uma cidade pequena perto de lá que se chama Helsingborg, mas me mudei para Malmö quando tinha dezesseis anos. É uma cidade de um bom tamanho, se quiser fazer alguma coisa normalmente você acha algum tipo de ação. Se quiser paz e silêncio, também encontrará isso. É uma cidade ótima, com muitas pessoas boas. Mas pra mim tanto faz, eu vivo no meu mundo de fantasias de qualquer maneira.

Quando a arte entrou em sua vida e quando virou uma profissão?
Arte, ou na real desenhar foi sempre parte do que eu faço. Quando eu olho para meus livros antigos de matemática são cheios de desenhos. Sempre foi algo que eu tinha que fazer, mas comecei levar isso mais a sério quando… Não eu nunca levo isso a sério, é algo que preciso fazer. Em algum momento eu percebi que as pessoas iam ver isso, então agora teria que fazer algo bom ou algo ruim. Depende de como você vê isso.

Você faz os gráficos para a Polar Skate Co. Qual sua relação com o skate e como é fazer os designs para shapes?
É uma razão para sair da cama de manhã. Eu amo o skate, eu amo fazer gráficos para skate.

Além de gráficos para skate e exibições que anda fazendo, tem outros projetos futuros que queira nos contar?
Atualmente eu não consigo fazer planos mais que um ou dois dias pela frente, mas eu quero fazer música.

Seus trabalhos tem cores vibrantes e muitos detalhes. Quais materiais você usa e como é o processo de trabalho?
Normalmente eu desenho tudo na mão, depois eu scaneio isso e coloco cores. Daí eu pinto o trabalho original com canetinhas, mas na real depende. Eu tento trabalhar com técnicas e materiais diferentes o quanto mais possível. Toda vez que eu mudo o processo de trabalho, parece que fica um visual diferente, preciso sentir que estou evoluindo, não quero ficar preso em um canto só porque é seguro ali.

Nesta sua exibição aqui na Finlândia seus desenhos tem mensagens sarcásticas por trás. Muitos órgãos sexuais, sangue, religião e cultura urbana. Você quer passar uma mensagem para as pessoas ou seu trabalho é só um jeito de por para fora seu próprios pensamentos?
Eu só pego a pior coisa que vem na minha cabeça e faço uma desenho disso. Eu falo e faço coisas legais, mas não as coisas ruins. Então eu tenho que botar isso para fora de alguma outra maneira e este jeito é DESENHAR.

Fiquem na paz!

You are from Malmö, Sweden. Can you tell us about your influences there?
Not really. Im from a smaller town close by called Helsingborg, But i moved to Malmö when i was sixteen. It´s a good sized town. If you want something to happen, usually you can find some kind of action. If you want some peace and quiet you can find that too. It´s a great town, with lot´s of good people. But hey, what do i care, I live in my fantasy world anyway.

When did art enter your life and when did it become a profession?
Art, Or drawing i should say, has always been a part of what i do. When i look at my old math books it´s only filled with drawings. It´s always been something i had to do, but i started to take it more serious when… No, I don´t take it serious at all i just have to do it! But somewhere i realized that people are actually going to see this, so now i have to do something good, or something bad. Depending on how you look at it.

You make graphics for Polar Skate Co. What’s your relation with skateboarding and how is it to create designs for boards?
It´s a reason to get out of bed in the morning. I love skateboarding, i love making skateboard graphics.

Besides the skateboard graphics and exhibitions you’ve been up to, are there other future projects you want to tell us about?
I can´t really plan more then a day or two ahead, but I want to make music..

Your works have vibrant colors and a lot of details. Which materials do you use for working and how is the process of it?
Usually i draw everything by hand, then scan it and i put in colors. Then i color the original with markers, but it really depends. I try to work with different technics and materials as much as i can. Every time i change my work process, it feels like i get a different look. I need to feel that I’m developing, don´t want to get stuck in a corner just because it´s safe.

In this last exhibition here in Finland, your drawings have a sarcastic message behind. A lot of sexual organs, blood, religion and urban culture. Do you want to pass a message to people or is your work just a way to release your own thoughts ?
I just take the worst thing that pops into my head and make a drawing out of it. I can say and do nice stuff, but not the bad stuff. So i have to get it out in some other way and that´s though DRAWING!!

Stay cool!

You Might Also Like