Music

MC Indigesto – “Anão Gigante”

Conheci o Indigesto por volta de 2008 quando eu ainda vivia em Barcelona. Seu skill como MC era pouco conhecido por lá, talvez por conta de sua modéstia ou timidez, porém com o tempo, acompanhado de algumas biritas, o talentoso membro da Cachaça Crew mostrou seu dom como montador de jogos de palavras e “entertainer” e conquistou geral, sem dúvidas.

Foi em 2010 que convidei ele pra rimar no que seria meu primeiro lançamento físico como produtor. Indigesto ficou com a faixa título do LP “Pássaro Imigrante”, pra grande maioria, a melhor do disco.

O carioca Walli a.k.a Indigesto continua vivendo na conhecida “Cidade do Nunca” e o mês passado lançou seu primeiro CD solo, por isso, resolvemos trocar uma idéia com ele pra saber de seu trabalho e trajetória.

Y: O que mudou pra vc desde de o Pássaro Imigrante? Tua faixa fez um puta sucesso, conseguimos assinar um model de tênis pela OÜS, entramos como Trilha Sonora pra um documentário de Arte Urbana estrelando Os Gemeos, outro doc. sobre a vida de Imigrantes Colombianos em SP e 4 anos depois, ainda escuto alguém tocar o som na balada! Foi bom pra você?…hahaha…

I: Pássaro Imigrante foi muito importante. Além de eu estar meio parado de lançamentos e me colocar denovo na cena, pude contar um pouco a história da minha vida fora do Brasil. Recebi muitos elogios pela letra, muita gente se identificou, e ainda mais que curti muito o beat, então me dediquei pra fazer a escrita. Essa foi a repercussão pra mim. Já assinar um modelo da Oüs foi uma tristeza profunda, já que não fizeram nenhum no meu número. Rsrs… No documentárop sobre os latinos em SP foi uma alegria, se dá a entender que a música tomou maior proporção que simplesmente minha história. E já o dos Gêmeos de Arte Urbana nem sabia que existia. Como se chama esse documentário? Tem no Youtube?

Y: O documentário está sendo produzido por um pessoal do Rio, ainda não tem nome, mas to de olho!

Y: Me lembro uma certa vez em Barcelona, você me mostrou uma rima bem loca que tava desenvolvendo e eu empolgado te perguntei: “Caraio mano, vc escreveu essa”?…e vc me respondeu… “Ainda não, por enquanto só ta guardada na cabeça”…Você ainda faz dessas coisas? Montar a musica primeiro na cabeça antes de escrever? Quantos porcento da rima fica pronta na cabeça antes de você coloca-la no papel?

I:Na verdade eu nunca escrevo uma letra antes dela tá pronta. Eu vou criando melodias na cabeça ou tento dar vida a frases que crio ou subverto. Assim me ajudar a decorá-la pois não consigo cantar lendo. depois que gravo escrevo a letra porque as pessoas pedem senão nem escrevia.

Y: …hahaha, tú é foda memo neguin!

Y: Pra quem conhece você pessoalmente e teu trabalho, o título “Anão Gigante” soa bastante natural. Mas também pode ser um ótimo estímulo moral pros baixinhos mundo a fora. Isso tem alguma ligação com o título do disco?

I: Anão Gigante é PARA TODOS!!! Como se intitula uma faixa do disco. Sempre faço a analogia de uma pessoa com a estatura normal para os padrões de roupa, acessórios e utensílios, acentos de ônibus , bancos de praça e por ai vai. Pois essa pessoa normal seria o Anão Gigante. A segunda comparação ou metáfora seria as questões internas como depressões , inseguranças, medos e tudo mais, junto com as pressões externas como família, trabalho, vizinhos, vencer na vida, tradições cultura e etc, que seriam coisas e fenômenos que nos diminuem, nos reprimem, nos zipam, mas mesmo assim cada um tem a sua grandeza ou grandiosidade, que nada mais é que a sua força de vontade não de ser alguém, mas ser ela mesma.

Y: Quando que vc decidiu que queria fazer um disco solo? E como surgiu a parceira com o Mestre Xim e Gori Beats? Vc já conhecia os caras pessoalmente?

I: O Gori já é um amigo de bastante tempo, desde que ele não fazia beat e tomava de conta do site Expresso 22, consequentemente por amizade e por talento que vi no cara começamos a fazer som junto, não imaginava fazer um disco com ele quando começamos a dar os primeiros passos juntos na música, mas sim que imaginava um com o Xim, que já tava no contato das antiga desde a época do Messenger. Uma vez fui em Petrópolis pra trocar idéia e se conhecer pessoalmente e tramamos vários sons. Eu queria fazer 2 EPs um com cada e no final pela demora saiu um disco de nós três e acho que fomos felizes com isso.

Y: Até agora, “Lombra” é uma das faixas que eu mais curto. Acho que a criatividade do clipe ajuda muito também a absorver a vibe dessa música. Mas me conta uma coisa, o que seriam “meias verdades no strip tease”? Hahahaha…E como foi fazer o vídeo clipe com toda aquela galera, quem é o diretor?

I: Meias verdades num strip tease é uma brincadeira com a expressão esse “verdade nua “ .Fazer o vídeo com a galera foi foda, de bom. Difícil foi reunir todo mundo, mas funcionou, fizemos plano sequência algumas vezes e depois foram editadas só as partes do refrão. O diretor foi Mário Barcelandi, argentino que vive em Barcelona, meu amigo pessoal e fora tem um trabalho admirável pelas simples soluções para questões complexas.

Y: O pivete da capa, seria ele um Anão Gigante ou um Gigante Anão? Tem uma “pontinha” ai de direitos autorais reservada pra ele pelo uso de imagem?

I: O menó da capa é meu filho que acabou saindo o disco perto do seu nascimento, então fechava no conceito da obra e lançamos. Se ele se revoltar com isso ainda vai demorar alguns anos.

Y: Como funciona esse lance de fazer Rap brasileiro vivendo na Espanha? Rola divulgar a arte por ai? Você pretende fechar shows no Brasil também, ou fica mais por conta da internet mesmo?

I: Por mim eu voltaria pro Brasil, aqui me apresento muito pouco em eventos do tipo multi-culturais, mas no Brasil não sou mainstream e o underground ainda não me digeriu, já que não pareço a nada que já existe e a grande maioria das pessoas precisam de referências para entender um trabalho artístico, essas não são minhas palavras são o que me dizem os que curtem meu som e alguns amigos. E sobre internet, digo facebook, porque mando meu disco a muitos blogs e sites, mas não tenho feedback, são poucos os que fortalecem o trabalho, agradeço a todos sempre, faço questão. Não tenho pùblico suficiente para viver de rap no Brasil, por isso sigo aqui vivendo de outras coisas.

Y: Pra você, qual é ou foi a melhor fase do Rap nacional e quem foram tuas maiores inspirações como MC?

I: Aprendi Rap com Thaíde e DJ Hum, Racíonais, Sistema Negro, Conciência Humana, Dina Dee, Ndee Naldilnho, SNJ, RZO, Athaliba e a Firma, ou seja os primeiros anos do YoMTV Raps, pra mim essa foi a melhor fase onde descobri o rap. Mas agora é o melhor momento do Rap Brasileiro para o Rap Brasileiro.

Y: E pra quem ainda tiver moscando e não ouviu todas as faixas do disco, onde a gente pode baixar o album completo gratuitamente de preferência?

I: O disco tá no media fire pra baixar de grátis http://www.mediafire.com/download/j4xvpar960o56h2/Indigesto+-+Anão+Gigante.rar e no youtube tem as músicas por separado e o álbum completo https://www.youtube.com/watch?v=o82_jlokMYo

Y:Se quiser relembra os tempos de Show da Xuxa e mandar um salve pra alguém, fica avontade ;^)

I: Gostaria de agradecer a todos os envolvidos no disco: Goribeatzz , Mestre Xim e Sydens Cartel pelos beats , samples e produção. A Nêga Lucas, Marya Bravo e Jr. Wise pela musicalidade incrementada às respectivas faixas participadas. Aos DJs Erik Scratch e Dufolk, pelos rabiscos e colagens. Ao WXStudio pelas fotos da capa e teaser de lançamento e a Cabelo Maluco e Nomey pela arte da capa.

You Might Also Like