Art / Photo

Rafael SLIKS

Rafael “SLIKS”, 32 anos, é natural do centro de São Paulo, mais precisamente do bairro Bela Vista. Em sua infância costumava desenhar quadrinhos, mas já nos tempos de moleque matava aula para jogar fliperama e curtir pelo centro da cidade. Sempre atento com a cena ao seu redor, recorda-se dos roles pela praça Roosevelt e das amizades com  a rapaziada do skate e pixo. Seus primeiros pixos foram nas cadeiras e mesas da escola e assim seguiu pelas ruas do centro. Depois desta época mudou para zona Sul e começa a cair de cabeça dentro da pixação. Já fazia uns desenhos neste tempo e os caras que costumava andar junto especulavam porque ele não fazia grafite também. Isso ocorreu no final do ano de 1996.

Começou a grafitar e logo conheceu  Alexandre Orion, que passou a ser um grande amigo e referência. Como office boy conta que passava por baixo das roletas dos ônibus e sempre que via um cara pintando algum muro, pedia para parar o “busão” pra acompanhar o trabalho em processo. Obviamente acabou tendo outras referências na arte urbana, como Niggaz, Vithe, Cobal e Os Gemeos. Depois deste tempo chegou a se tornar designer gráfico. Nesta área se aprofundou no estudo de combinação de cores, mas nunca se desprendendo de colocar a mão na massa e soltar seus braços em forma de artes plásticas nas ruas. Foi nestas intervenções urbanas onde aprimorou seu estilo gráfico e deu continuidade a seus interesses. Sua “tag”(assinatura na linguagem do grafite e pixação) se tornou sua marca registrada e com ela busca questionar a apropriação do ambiente urbano. Muitas vezes fazendo uma fusão com as artes plásticas. Onde os “tags” se entrelaçam uns sobre os outros dando uma nova textura para a superfície em questão e passando a visão do caos das ruas em uma forma mais colorida e abstrata. Hoje em dia o artista urbano leva sua arte para grandes exposições em galerias e museus do Brasil e mundo afora.

http://vimeo.com/77789189

Rafael “SLIKS”, 32 years, is from São Paulo, more precisely from the Bela Vista neighborhood. In his childhood he used to draw comics and later in his teenage days he skipped  school to play arcade and enjoy São Paulo’s city centre. Always paying attention to his surroundings, he remembers Roosevelt Square and the friendship with skateboarders and taggers. His first tags were on school chairs and tables and later in the streets of the centre. He then, moved to the south side of the city and fully started focusing on tagging. He was already a drawer, and some of his fellow taggers started asking him why he didn’t do any graffiti. This all took place in the end of 1996. He started graffiting and soon met Alexandre Orion, who became a great friend and a reference. As an office boy he use to go around the city with the bus and always when he spotted a wall being painted by artists he would get off to check the work. Obviously he ended up having other references in urban art such as Niggaz, Vithe, Cobal and Os Gemeos. He became a graphic designer where he deeply studied colour combination, but he never stopped grafting in the streets. It was there where he developed his graphic style and interests. His tag became his trademark and through it he tries to question the appropriation of the urban ambient many times fusing with visual arts, where the tags go on top of each other giving a new texture to the surface in question,  giving his view of the chaotic streets in a more abstract and colourful way. Nowadays the urban artist  takes his big exposition to galleries and museums in Brazil and around the world.

Mais informações / More information:

http://rafaelsliks.com/
http://sliks.tumblr.com/

 

 

You Might Also Like